Até o momento, a segurança e eficácia das vacinas aprovadas não tem estudos em gestantes e lactantes (apenas em animais), por isso, a vacinação neste grupo de pessoas não está sendo indicada.


Caso a mulher tome a vacina e acabe descobrindo depois que já estava no início de uma gestação, a gestante deverá ser tranquilizada e iniciar o pré-natal o quanto antes. E no caso de se tomar a primeira dose e depois engravidar, a segunda dose deve ser adiada até o fim da gravidez.


De acordo com o CDC, as gestantes que já apresentam algum tipo de comorbidade, os riscos e benefícios de tomar a vacina devem ser avaliados individualmente com o seu médico (idade gestacional, doenças associadas, grau de exposição, área de atuação, etc) e de acordo com recomendações dos órgãos competentes. Essas gestantes devem escolher se querem ser vacinadas ou não.


Lactantes também devem avaliar a sua situação juntamente com seu médico, levando em conta a sua situação/exposição/riscos pessoais e após buscar informações adequadas, decidir se vai vacinar ou esperar.


Por se tratar de uma situação nova, nós precisamos ter mais paciência e aguardar, pois, as recomendações podem mudar, ainda mais no grupo de lactantes, já que mesmo mulheres com Covid não são impedidas de amamentar, pois, os benefícios da amamentação superam os riscos. Porém, hoje não podemos afirmar sobre riscos e efeitos adversos já que a vacina não foi testada em gestantes e lactantes.


Lembrado que não é recomendado suspender a amamentação apenas para fazer a vacina, pois os benefícios de amamentar são inúmeros.



Fonte*: { Public Health England Disponível em: https://bit.ly/3qwbCLN }