Dores nas costas, provocadas pelo peso da barriga e dos seios, inchaço em regiões como pernas e pés, retenção de líquido, ansiedade e tensão musculares são alguns dos principais sintomas que a gravidez causa no corpo das gestantes. Entretanto, com a barriga cada vez maior, muitas mulheres ficam em dúvida se podem se submeter às massagens, visto que além do receio de machucar o bebê, nem toda posição é permitida.

 

Grande parte dos médicos liberam as massagens a partir do segundo trimestre, e é importante conversar com seu obstetra sobre a possibilidade. As mulheres com gravidez de risco ou que apresentaram perda de sangue ou líquido amniótico devem ter mais restrições, portanto, procure sempre profissionais confiáveis e um fisioterapeuta que já possua experiência com gestantes. Para isso existem alguns tipos de massagens próprias por não colocarem o bebê ou a mamãe em risco, elas são:

 


1 - Drenagem linfática para grávidas

O benefício deste método é a redução da retenção dos líquidos e diminuição do inchaço, já que esse tipo de massagem ativa as circulações venosa e linfática. Os movimentos são feitos para empurrar os líquidos em direção à virilha e o ideal é que não seja feita no abdômen.

Mulheres que já tiveram trombose ou problemas com hipertensão devem ter mais cuidado e buscar orientação de seu médico.

 


2 - Massagem relaxante para grávidas

Tem objetivo de levar ao relaxamento muscular, o ideal é que seja feita naquelas cadeiras especializadas em massagem, principalmente se a gravidez já estiver no terceiro trimestre. Isso pois a barriga estará mais pesada e será bem desconfortável ficar muito tempo com ela para cima.

A massagem não deve ser feita na barriga e o profissional tem que ter a mão mais leve, para não pressionar muito os pontos de tensão, que estarão bem mais sensíveis.



3 - Shiatsu para gestantes

Essa massagem ajuda a equilibrar o corpo físico, energético e emocional. É uma prática oriental e visa ajudar na redução do estresse e da ansiedade. O profissional pressiona as pontas dos dedos em certos pontos, que são considerados canais de energia, que se comunicam com os aspectos emocionais da pessoa.

Além de diminuir a ansiedade e o estresse, essa técnica é capaz de melhorar a digestão — evitando a prisão de ventre e os enjoos —, diminuir a tensão muscular e as dores nas costas, e reduzir o inchaço.

É preciso ter cuidado com as gestantes que sofram de pressão alta e tenham infecções e inflamações. Também é essencial evitar a região da barriga e ser feita a partir do segundo trimestre.


4 - Massagem pélvica

É interessante para as gestantes que desejam o parto normal, portanto, deve ser feita nas últimas semanas da gravidez. Essa massagem alonga os músculos da região, preparando-os, assim, para o parto. Pode ser realizada pela própria gestante, em um tempo de 5 a 10 minutos, diariamente.

 

É feita na região do períneo. Para facilitar, pode ser usado um espelho, o que lhe permite ter uma melhor visualização do procedimento. O conselho é que se lavem as mãos antes e use um gel lubrificante, para auxiliar no procedimento.

Os movimentos são feitos com os dedos polegares, iniciando na região da vagina, indo em direção ao ânus e para os lados.


5 - Massagem nos seios em grávidas

Na gestação os seios costumam ficar inchados e doloridos. As massagens nessa parte costumam trazer vantagens e podem ser feitas pela própria mulher. Além de ajudar na diminuição das dores, as massagens podem estimular a produção de leite, o que preparará o organismo para a amamentação. Mas atenção, não se deve massagear e estimular a produção de leite antes do nascimento, apenas de forma superficial, e eventualmente, para dar alívio.

hormônio que faz a saída do leite, a ocitocina, pode ser estimulada com as massagens contínuas e com isso, aumentar o risco de contrações uterinas antes do momento certo.

No procedimento, segure o seio com as duas mãos, uma de cada lado. Você fará uma pressão da base até o mamilo — o movimento é como se fosse uma ordenha. Repita umas 5 vezes e depois passe para o outro seio.

Você pode usar um creme ou óleo para facilitar, mas é importante tomar dois cuidados:

  • Deve-se utilizar apenas óleos ou cremes que não tenham substâncias proibidas para grávidas.
  •  Médicos não recomendam passar cremes nos mamilos, pois eles precisam ganhar resistência para o momento da amamentação.


Resumindo, alguns benefícios que as massagens podem trazer para as gestantes, são:

  • Diminuir dores nas costas e o aparecimento de estrias e celulites;
  • Reduzir inchaços e câimbras;
  • Eliminar enjoos e azias;
  • Evitar o intestino preso;
  • Ameniza as dores nos seios, ajuda na produção do leite e aliviar sentimentos como ansiedade;
  • Preparar a gestante para o parto, e a deixar mais calma, juntamente ao bebê;

Por mais que as massagens para gestantes sejam geralmente liberadas, é sempre importante antes você conferir com o seu médico a opinião dele. Isso porque alguns casos requerem cuidados especiais.